Resultados da Busca

165 bookmark(s) - Ordenar por: Data ↓ / Título / Voting /

  1. -
    https://www.bbc.com/mundo/noticias-51268343
    Voting 0
  2. -
    https://medium.com/thrive-global/how-...google-s-design-ethicist-56d62ef5edf3
    Voting 0
  3. One of Big Tech’s most vocal critics in the US Congress has introduced a bill to limit social-media companies’ ability to use design features like infinite scrolling, video autoplay, and achievement badges (like “power user”). Under Senator Josh Hawley’s Social Media Addiction Reduction Technology (SMART) Act, companies would instead have to build features that let users set limits on how long they’ve been glued to the screen.
    https://www.technologyreview.com/f/61...ive-design-legislation-smart-act-bill
    Tags: , , , by mila (2019-07-31) | Cache | Permalink
    Voting 0
  4. This paper seeks to illuminate the significance of datafication for anti-poverty programmes, meaning social protection schemes designed specifically for poor people. The conversion of beneficiary populations into machine-readable data enables two core functions of social protection, those of recognising entitled beneficiaries and assigning entitlements connected to each anti-poverty scheme. Drawing on the incorporation of Aadhaar, India’s biometric population database, in the national agenda for social protection, we unpack a techno-rational perspective that crafts datafication as a means to enhance the effectiveness of anti-poverty schemes. Nevertheless, narratives collected in the field show multiple forms of data injustice on recipients, underpinned by Aadhaar’s functionality for a shift of the social protection agenda from in-kind subsidies to cash transfers. Based on such narratives the paper introduces a politically embedded view of data, framing datafication as a transformative force that contributes to reforming existing anti-poverty schemes.
    https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fdata.2019.00013/full
    Tags: , by mila (2019-07-16) | Cache | PDF | PNG | Permalink
    Voting 0
  5. -
    https://www.desisnetwork.org
    Voting 0
  6. -
    https://www.openideo.com
    Voting 0
  7. -
    http://www.desis-philosophytalks.org
    Tags: , by polart (2019-04-22) | Cache | PDF | PNG | Permalink
    Voting 0
  8. -
    http://www.ihuonline.unisinos.br/arti...rategia-de-articulacao-pelo-bem-comum
    Tags: , , , by polart (2019-01-31) | Cache | PDF | PNG | Permalink
    Voting 0
  9. DECRETO Nº 9.527, DE 15 DE OUTUBRO DE 2018 - Cria a Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil.

    O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, caput, inciso VI, alínea "a", da Constituição, DECRETA:

    Art. 1º Fica criada a Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil com as competências de analisar e compartilhar dados e de produzir relatórios de inteligência com vistas a subsidiar a elaboração de políticas públicas e a ação governamental no enfrentamento a organizações criminosas que afrontam o Estado brasileiro e as suas instituições.

    Art. 2º A Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil será composto por um representante, titular e suplente, dos seguintes órgãos:

    I - Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, que o coordenará;

    II - Agência Brasileira de Inteligência;

    III - Centro de Inteligência da Marinha do Comando da Marinha do Ministério da Defesa;

    IV - Centro de Inteligência do Exército do Comando do Exército do Ministério da Defesa;

    V - Centro de Inteligência da Aeronáutica do Comando da Aeronáutica do Ministério da Defesa;

    VI - Conselho de Controle de Atividades Financeiras do Ministério da Fazenda;

    VII - Secretaria da Receita Federal do Brasil do Ministério da Fazenda;

    VIII - Departamento de Polícia Federal do Ministério da Segurança Pública;

    IX - Departamento de Polícia Rodoviária Federal do Ministério da Segurança Pública;

    X - Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Segurança Pública; e

    XI - Secretaria Nacional de Segurança Pública do

    Ministério da Segurança Pública.

    § 1º Os representantes de que trata este artigo serão indicados pelos titulares dos órgãos referidos nos incisos I a XI do caput, no prazo de dez dias, contado da data de publicação deste Decreto, e designados em ato do Ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

    § 2º A Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil poderá convidar representantes de outros órgãos e entidades da administração pública federal cujas participações sejam consideradas indispensáveis ao cumprimento do disposto neste Decreto.

    Art. 3º O Coordenador da Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil elaborará Norma Geral de Ação que regulará o desenvolvimento de ações e de rotinas de trabalho, em consonância com a Política Nacional de Inteligência - PNI, com a Estratégia Nacional de Inteligência - ENINT e com a legislação em vigor.

    § 1º A Norma Geral de Ação definirá a forma de articulação e de intercâmbio de informações entre a Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil e o Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social.

    § 2º A Norma Geral de Ação será submetida à deliberação dos integrantes da Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil e, na hipótese de ser aprovada, por maioria absoluta, será publicada no Diário Oficial da União por meio de Portaria do Ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

    Art. 4º A Agência Brasileira de Inteligência prestará o apoio administrativo à Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil.

    Art. 5º A Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil realizará reuniões de trabalho, em caráter ordinário, semanalmente, ou em caráter extraordinário, por convocação do coordenador, sempre que necessário.

    Parágrafo único. As reuniões de trabalho da Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil independerão de quórum mínimo para serem realizadas.

    Art. 6º A participação na Força-Tarefa de Inteligência para o enfrentamento ao crime organizado no Brasil será considerada prestação de serviço público relevante, não remunerada. Art. 7º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

    Brasília, 15 de outubro de 2018; 197º da Independência e
    130º da República.

    MICHEL TEMER
    Sergio Westphalen Etchegoyen
    http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/js...ornal=515&pagina=6&totalArquivos=78:1
    Voting 0
  10. -
    https://www.ethnography.uci.edu
    Voting 0

Top of the page

First / Anterior / Próximo / Last / Página 1 de 17

Sobre - Propulsed by SemanticScuttle